Eu preciso declarar o imposto de renda 2018?

Nem todos os contribuintes são obrigados a realizar a entrega do Imposto de renda 2018, porém, se você se enquadrar em pelo menos UM dos critérios abaixo, a declaração do IRPF será obrigatória. Confira a seguir quem precisa realizar a declaração do Imposto de Renda 2018:

a) Contribuintes que receberam, no ano de 2017, rendimentos tributáveis que totalizaram mais de R$ 28.559,70, ou seja, trabalhadores, aposentados ou pensionistas com renda mensal com valor de mais de R$ 1.903,98 mensal;

b) Contribuintes que tiveram rendimentos não-tributáveis acima de R$ 40.000,00. Rendimentos não tributáveis são aqueles que não geram nem lucro, nem valor liquido, sendo assim não precisa pagar imposto;

c) Para os trabalhadores do campo é obrigatório fazer a declaração do imposto de caso, caso o rendimento anual bruto de renda rural acima de R$ 128.308,50;

d) Contribuintes que investiram qualquer valor em bolsas de valores, mercado de capitais ou similares;

e) Contribuintes com imóvel ou terrenos em suas posses, com valor superior a R$ 300 mil.

f) Trabalhadores que optarem pela isenção de imposto de renda sobre o valor da venda de imóveis, desde que esse seja usado para a compra de outro imóvel em território nacional no prazo de 180 dias

Em 02 de março tem início o prazo para entrega da Declaração do Imposto de Renda 2018. E em 28 de abril é o ultimo dia de entrega. MAS PARA QUE ESPERAR? VEJA QUAIS AS VANTAGES DE ADIANTAR A ENTREGA DO IMPOSTO DE RENDA:

1 – Quanto mais rápido entregar, maiores são as chances de receber sua restituição nos primeiros lotes.
Todos os anos a Receita Federal paga aos contribuintes que tem direito a restituição de imposto de renda em 7 lotes mensais, geralmente a partir de junho, sempre no dia 15 ou no primeiro dia útil subsequente.
O 1o lote de restituição disponível em 15 de junho é praticamente exclusivo para os contribuintes prioritários, no caso idosos com mais de 60 anos, portadores de deficiências ou doenças graves.
A partir do 2o lote a prioridade já é de quem entregou antes, e neste caso para quem prefere ter de volta o seu rico dinheirinho ao invés de deixa-lo por mais alguns meses na mão do governo a regra é clara: “quer receber antes, entregue sua declaração rápido”.

2 – Maior tempo hábil para fazer a declaração retificadora caso conste pendências de documentos para completar o preenchimento da declaração do IRPF ou encontre novos comprovantes de despesas.
É muito comum as pessoas perceberem que não possuem alguns recibos ou documentos necessários para realizar a sua declaração assim que dão início ao processo, aquele recibo do dentista, da escola do filho ou mesmo se lembrar que o filho a ser declarado como dependente não possui CPF (este ano obrigatório para crianças com 12 anos completos). Outras, acabam encontrando recibos que não se lembravam somente depois que já realizaram a entrega da declaração do IRPF e que podem ajudar a reduzir o imposto a pagar ou aumentar a restituição; e neste caso se ainda no prazo é possível fazer a retificadora sem multa ou juros.
Em ambos os casos fica claro que se você começar antes, as chances de fazer uma declaração sem erros, sem riscos de malha fina e otimizada para pagar o menor IRPF ou a maior restituição possível são muito maiores.

3 – Saber com antecedência o valor do imposto a pagar (se for o caso) e ter tempo de se planejar.
O que você prefere? Receber uma DARF de IRPF vencendo no dia (ou caso entregue no ultimo dia você provavelmente receberá no dia posterior já vencida e terá que pagar com multa e juros) ou recebe-la com antecedência de semanas para você se programar melhor para o pagamento?
Não tem nem o que pensar né?

4 – Habilita para conseguir crédito de antecipação da restituição em seu banco.
Você já deve ter recebido do seu Banco alguma propaganda que oferece a possibilidade de você receber agora o valor da sua restituição através de uma linha de crédito chamada de “antecipação da sua restituição”.
Trata-se de uma linha de crédito atrelada ao valor de restituição calculada na sua declaração de imposto de renda, ou seja, você informa em sua declaração a conta do seu banco para você receber sua restituição e pode procurar o seu gerente para solicitar um crédito calculado em cima do valor restituído. A maioria dos bancos antecipa até 100% do valor da sua restituição.
Antecipar sua restituição com seu banco pode ser uma baita vantagem se você tiver dívidas para quitar com taxas de juros altas, como por exemplo dívida de cheque especial e cartão de crédito, e pense que se este for o seu caso, quanto mais você demorar para entregar sua declaração de IRPF, mais juros você pagará em suas dívidas.

5 – Não corre os riscos de perder o prazo e pagar multa e juros
Milhares de pessoas perdem o prazo de entrega de suas declarações do IRPF.
Isto acontece porque quase sempre nos últimos dias da entrega o sistema da Receita fica muito lento, cai com frequência ou até mesmo trava e muitas declarações acabam por não ser entregues.
A multa para quem não entrega a declaração de IRPF no prazo pode chegar até a 20% do valor do imposto devido com um valor mínimo de R$ 165,74.

E ai, vai antecipar a entrega?


Autor: Emerson Bocasanta – Economista

Firmando parcerias de sucesso - Um guia adaptado do livro "A Arte de Fazer Parcerias"<< >>Empreender: oportunidade ou necessidade?

Deixe um comentário

Seu endereço de e-mail não será divulgado.